+55 11 99989.5598

Mais 2.100 funcionários vão entrar em férias coletivas a partir desta sexta-feira e mais de 430 ficarão com o contrato de trabalho suspenso

A empresa Pirelli informou que irá paralisar toda a produção na unidade de Santo André, onde são fabricados pneus de caminhões e tratores. Segundo a empresa, foram encerrados 121 contratos de funcionários, e mais 2.100 empregados vão entrar em férias coletivas a partir de hoje (24) – até o dia 14 de agosto. Mais 430 trabalhadores permanecerão em layoff (com o contrato de trabalho suspenso).

A produção de pneus para carros e moto continuará em outras unidades do país e a de pneus convencionais para caminhões será reduzida, "de acordo com o andamento do mercado".

A Pirelli informou, em nota, que as medidas foram tomadas visando à adequar o nível de produção à demanda atual e futura do mercado, “frente ao cenário econômico nacional e ao agravamento do andamento negativo do setor automotivo, especialmente nos segmentos de caminhões – que teve uma queda nas vendas de 45,2% - e de ônibus - que apresentou uma retração de 27,8% - no primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2014”.

Segundo a empresa, 860 funcionários das unidades de Campinas (SP) e Gravataí (RS) continuarão em layoff até setembro. E a fabricante vai dar férias coletiva mais 430 funcionários em Gravataí, do setor de pneus radiais de caminhões e ônibus, do dia 27 de julho até 14 de agosto.

Questionada se haveria risco de a empresa deixar o Brasil, a Pirelli disse que está no país há 86 anos e quer se manter. No total, são mais de 12 mil funcionários.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Borracheiros da Grande São Paulo e Região (Sintrabor), Márcio Ferreira, disse que a empresa e o sindicato decidiram não colocar em negociação a aplicação do Programa de Proteção ao Emprego (PPE), lançado pelo governo e que permite a redução da jornada de trabalho. De acordo com Ferreira, o plano é muito recente e há uma série de pré-requisitos a serem cumpridos pelos sindicatos e empresas, o que demandaria tempo. “Até lá, a crise já passou”, disse.

“É uma medida contraditória. É para defender o emprego, mas a empresa tem de comprovar que demitiu”, argumentou. O presidente do sindicato ressaltou que na negociação entre os trabalhadores e a Pirelli foi dada prioridade às medidas mais tradicionais, como o layoff e as férias coletivas.

Via Terra. Leia mais no original.

Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
Prev Next

Grécia suaviza restrição e libera 2 mil euros para viagens

Decreto do Ministério das Finanças afirma que os estrangeiros podem sacar quantidades ilimitadas de dinheiro no país

Leia mais

Pirelli para produção em Santo André e demite 121 empregados

Mais 2.100 funcionários vão entrar em férias coletivas a partir desta sexta-feira e mais de 430 ficarão com o contrato de trabalho suspenso

Leia mais

Caixa libera R$ 4 bi para financiamento imobiliário por FGTS

As pessoas poderão usar o FGTS para financiar até 85% do preço do imóvel

Leia mais

Contato

Magalhães Consultoria

Rua Senador Fonseca 567

Jundiaí - São Paulo - Brasil

Telefone:11 99989.5598

contato@magalhaesconsultoria.com.br

Atendimento - Segunda a sexta: 9h às 18h.

A Magalhães Consultoria está empenhada em oferecer aos seus clientes e parceiros as melhores soluções e serviços na área de Câmbio e Comércio Exterior, através de comprometimento, clareza e respeito, trabalhando sempre dentro de rigorosos padrões de qualidade, prazo, custo e segurança. A Magalhães Consultoria tem conhecimento em assessorar e conduzir as operações de cambio para a sua empresa. Na prestação de consultoria, oferecemos todas as diretrizes para o cliente executar os processos envolvendo operações de cambio e comex. No serviço de assessoria, analisamos todo o contexto da operação a ser realizada de acordo com o Banco Central e a Receita Federal Brasileira. Trabalhamos com a identificação do enquadramento cambial e tributário assertivo para cada operação e acompanhamento “full time” do momento mais adequado para a compra ou venda da moeda estrangeira, levando em consideração os cenários macro e microeconômico, nacional e internacional.